Proposta de criação do Centro de Interpretação do 16 de março de 1974

16-de-marc3a7o_S

Manuel Nunes apresentou, em nome do grupo municipal do Partido Socialista, a proposta de criação do  Centro de Interpretação do 16 de março de 1974

Proposta de criação do ” Centro de Interpretação do 16 de março de 1974″

Factos Históricos

No dia 16 de março de 1974 partiu das Caldas da Rainha uma coluna militar composta por cerca de 200 militares revoltosos do RI5, comandados pelo capitão Armando Marques Ramos, com o objetivo de ocupar o Aeroporto de Lisboa. Esta iniciativa fazia parte de um plano mais vasto, para derrubar o governo de Marcelo Caetano.

No entanto esta ação não foi bem sucedida e os militares regressaram ao quartel, foram presos e enviados para outras unidades militares distantes. 40 dias depois deu-se o 25 de abril, provocando o derrube do anterior governo, e assim permitiu a passagem para o regime democrático.

Contudo, é de destacar que o desenrolar do processo democrático em Portugal insere-se num movimento social mais global que se estendeu à Grécia (1974), Espanha (2006), Brasil (1985) e Europa do Leste (1989).

Com o segundo objetivo, o MFA pretendia que se realizasse a descolonização, o que se veio a concretizar cerca de 2 anos depois, dando origem à existência de vários países independentes, como é o caso de Angola, Moçambique, Guiné, Cabo-Verde, São Tomé e Príncipe e Timor e indiretamente aos países existentes na África austral.

Assim, podemos afirmar, sem qualquer tipo de vaidade inteletual, que o 16 de março de 1974, foi o início de um processo que implantou o regime democrático no sul da Europa, possibilitou a independência de vários países no continente africano e promoveu a sua existência em vários países da América do Sul.

PROPOSTA

Atendendo que a data do 16 de março de 1974:

  1. É um marco histórico de grande significado para as Caldas da Rainha e o País;
  2. Contribuiu para implementar o processo democrático em Portugal;
  3. Iniciou um processo muito complexo com repercussão significativa em Portugal, no sul da Europa e nos continentes Africano e da América do Sul;
  4. É inconvenientemente esquecido na História do país.

De acordo com a alínea b) do nº 1 do art.º 9º do Regimento da AMCR, o Grupo Municipal do Partido Socialista, propõe que, em parceria com a Câmara Municipal de Caldas da Rainha e outras entidades públicas e privadas, se estude o modelo a implementar futuramente do “Centro de Interpretação do 16 de março de 1974”, com os seguintes objetivos, entre outros:

  1. Aprofundar o conhecimento relativamente aos acontecimentos que antecederam o evento;
  2. Realizar periodicamente (bianual) um congresso com a presença de estudiosos/historiadores dos países que sofreram a sua influência direta;
  3. Tornar mais visível, clara e instrutiva ao público esta data, nomeadamente aos jovens;
  4. Promover, do ponto de vista histórico, o nosso concelho.

Os membros do Partido Socialista:

(Manuel Nunes)    (Jaime Neto)  (Luísa Barbosa)  (José Abegão)  (Pedro Seixas)  (Conceição Paramos)

Caldas da Rainha, 22 de abril de 2014

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s