Vereadores do PS votam contra a construção de 3 edifícios nas antigas instalações da histórica fábrica SECLA

   

Os vereadores do Partido Socialista, Luís Patacho e Jaime Neto,  votaram contra o pedido de informação prévia sobre a viabilidade da construção de 3 edifícios nas antigas instalações da histórica fábrica de cerâmica SECLA.

 

Declaração de voto sobre o Processo 03/2018/14 titulado por Prime Unit – Construções Imobiliário, Lda, relativo a pedido de informação prévia para obras de edificação de 3 edifícios

(ponto 0000/2018 da Reunião Camarária de 2018/02/19)

Os vereadores do PS defendem a preservação, valorização e reabilitação do património cultural comum, nomeadamente o património urbano e arquitectónico construído, porque este constitui um testemunho crucial do trabalho e das aspirações da humanidade através do tempo e do espaço.
O património urbano e arquitectónico é um capital social, cultural e económico, caracterizado pela estratificação histórica dos diversos valores produzidos por sucessivas épocas, culturas, experiências e tradições.

A preservação, valorização e reabilitação do património urbano e arquitectónico é de uma importância vital para as Caldas da Rainha, porque contribui para a coesão social e promove ao mesmo tempo os valores da diversidade, da criatividade e da inovação. Os vereadores do PS entendem que é possível conciliar a reabilitação do património urbano e arquitectónico com as forças dinâmicas do desenvolvimento económico, social e cultural que lhe dão forma e o transformam constantemente.

Pelos motivos acima enunciados, os vereadores do PS não podem aceitar nem aprovar pedidos de informação prévia sobre projectos que prevêem a demolição completa de uma fábrica de cerâmica tão importante para as Caldas da Rainha como a SECLA, fundada em 1947 e escola de formação para inúmeros Caldenses. Pela SECLA passaram também artistas tão ilustres como Hansi Stæl, Júlio Pomar, Herculano Elias e Ferreira da Silva, referências nacionais e internacionais que fazem parte integrante do património cultural identitário das Caldas da Rainha. Não podemos aceitar a viabilização de projectos que fazem tábua rasa da História das Caldas da Rainha, desprezando os seus valores culturais e identitários!

Para além disso, entendemos que o programa funcional e as opções arquitectónicas do pedido de viabilidade não constituem uma intervenção adequada para este sítio tão sensível do centro urbano consolidado das Caldas da Rainha, espaço privilegiado de articulação entre o Parque D. Carlos I e o pinhal onde está implantada a Escola Superior de Arte e Design (ESAD). Demolir toda a fábrica da SECLA para a substituir por edifícios desgarrados, com um parque de estacionamento a céu aberto para 156 automóveis, configurando uma paisagem de carácter suburbano num lugar tão sensível como este é, para nós, absolutamente inaceitável!

Por outro lado, entendemos que é desadequado e altamente prejudicial para a coesão social e económica do centro urbano consolidado a construção de um hipermercado com 3 241, 50 m2 de área de implantação.Viabilizar tal pedido é dar uma machadada fatal em todo o comércio de bairro prevalecente no centro urbano consolidado das Caldas da Rainha. Os vereadores do PS defendem um projecto político de valorização e modernização do comércio de bairro, dito tradicional, tal como defendem um urbanismo de bairro, e irão apresentar em tempo oportuno propostas concretas de configuração de um plano de logística urbana, instrumento fundamental de apoio e melhoria da competitividade do comércio de bairro. Entendemos também que o comércio de grande superfície baseado no transporte individual em automóvel é completamente desadequado para um lugar do centro urbano consolidado das Caldas da Rainha tão sensível como este.Além do mais, a geração de mais tráfego automóvel que um hipermercado deste tipo suscita é contrária à política de mobilidade que os vereadores do PS defendem, baseada nos modos suaves como a mobilidade pedonal e ciclável.

Já relativamente ao programa de um hotel de três estrelas, os vereadores do PS entendem que é adequado para este sítio, mas defendem que não deve ser um projecto genérico, igual a outros hotéis da mesma cadeia hoteleira noutras cidades. Pelo contrário, deveria ser um projecto que valorize a memória deste lugar, através da reabilitação da fachada da fábrica SECLA e a sua integração no programa funcional e arquitectónico do hotel.

Finalmente, considerando a especificidade deste espaço privilegiado de articulação entre o Parque D. Carlos I e o pinhal onde está implantada a Escola Superior de Arte e Design (ESAD), entendemos que a área de espaços verdes apresentada de 91, 70 m2 é ridiculamente pequena e que, portanto, o projecto deveria ter uma área de espaços verdes muito mais significativa, de forma a permitir a continuidade e a articulação entre estes dois importantes espaços verdes.

Razões pelas quais os vereadores do PS votam contra a aprovação do pedido de informação prévia para obras de edificação de três edifícios no espaço da fábrica SECLA, apresentado pela empresa Prime Unit—Construções Imobiliário Lda (Processo 03/2018/14).

Caldas da Rainha, 19 de fevereiro de 2018.

 

Anúncios

One thought on “Vereadores do PS votam contra a construção de 3 edifícios nas antigas instalações da histórica fábrica SECLA

  1. Muito bem, Luís. Há ainda que ter em conta a expansão, possível, para outras valências do IPL; e os constrangimentos da segurança da Escola de Sargentos do Exército. Mário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s